Diagnóstico

O diagnóstico de uma Epilepsia é fundamentalmente clínico (faz-se apenas pela descrição das crises, sendo muito importante ter uma descrição pormenorizada destas por quem as observa). Sendo utilizados habitualmente alguns meios complementares, como o electroencefalograma (EEG), em que etse mede a actividade eléctrica do cérebro, tomografia axial computorizada (TAC), e a ressonância magnética nuclear, sendo este dois útlimos utilizados para identificar a doença que pode estar a causar a epilepsia.

 

Um electroencefalograma anormal significa um diagnóstico de epilepsia?

Não necessariamente, por exemplo não existe epilepsia sem ataques epilépticos.

 

E no caso de um EEG normal, significa que não há um diagnóstico de epilepsia?

Embora seja normal, a pessoa pode ter epilepsia. O EEG mede a actividade eléctrica cerebral, podendo ser normal quando a actividade eléctrica anormal se processa na profundidade do cérebro.

 

 

Referência:

LIGA PORTUGUESA CONTRA A EPILEPSIA, 2005. A Epilesia [online]. Diagnóstico. Disponível em: http://www.lpce.pt/diagnostico.htm [Acesso: 05-05-2011]

NEUROLIS, CLÍNICA DE NEUROLOGIA E NEUROFISIOLOGIA, LDA, 2008. Epilepsia [online]. Diagnóstico da Epilepsia. Disponível em: http://www.neurolis.pt/content/view/42/60/ [Acesso: 05-05-2011]